Conto: Elevado (Por João Gomes)

Débora estava nervosa porque sua filha ainda não tinha retornado. Tentou contatá-la no celular mas não teve êxito. Tentou também o celular da melhor amiga dela. Nada! Foi um dia cansativo no escritório de assessoria jurídica Carneiro, Leão & Associados. Como era sexta-feira Débora tinha o rito de se mergulhar na jacuzzi por trinta minutos… […]

CONTO: Corredor Fantasma (Por Rogério Amaral de Vasconcellos)

Por um momento a multidão ululou como um animal prestes a ser agredido. De onde partiu o primeiro aviso, ninguém nunca soube. Nem agradeceu. Corpos eram arremessados por seus próprios pares, deixando livre o caminho. Não houve feridos. Somente atônitas e algumas incrédulas testemunhas. Havia uma névoa fina ou escapamento de gás, no caminho da […]

Conto: Destino 2.0 (Por Gilson Luis Da Cunha)

Faço isso há quase um século. E estou cansado. Não que eu conte o tempo. Não me perguntem como eu sei. É algo que acontece na minha cabeça, como falar idiomas que nunca falei. Ou saber de notícias que nunca li. Veio tudo no pacote que os ETs me deram. Esses caras cinzentos, que chamam […]

Conto: E.L.O.S (Por Rogério Amaral de Vasconcellos)

Elos? Sim. Elos?? Sim. Elos?! Sim. Defina você. Uma entidade lógica orto-sintética. O que “entidade” quer dizer? Discursivamente, cito Michaelis et all, “é tudo quanto existe ou pode existir, de forma real ou imaginária.” Também pode ser unidade classista, programática, corporativa, filosófica, espiritual, contábil… Interrompa, Elos! Quero algo mais simples, direto e humano. Se quer […]

CONTO: Gone Postal – Nos porões do Correio (Parte I) (por Vitor Gama)

Roberval acordou cedo para o trabalho e levou o tempo de esquentar o café para sentir a estranheza da situação. Nunca teve de usar o despertador pois seu trabalho não priorizava a pontualidade. Por esse motivo permitiu-se o luxo de perder-se em reflexões: havia a leve sensação de que um sonho auspicioso cartografando a localização […]

Conto: O Império de Tendor (por Gerson Machado de Avillez)

Fora num dia como aparentemente outro qualquer que, naquela trilha, parecia subitamente me perder sem saber que, na verdade, acharia o ininteligível inefável aos mortais oriundos de meu mundo. Tudo teve início quando os metros pareciam terem se tornado quilômetros como se uma dilatação no espaço-tempo tivesse se acometido das curvas e distâncias. Todavia, mediante […]

Conto: Os Elos do Destino (por Gerson Machado de Avillez)

“Os homens falam sobre matar o tempo, enquanto o tempo serenamente os mata.” Dion Boucicalt A moral elevada da T.E.M.P.U.S. era regida sob a tutela da CEET, uma espécie de coordenadoria e corregedoria da agência transtemporal internacional da organização. Dizia-se comumente da transparência e imparcialidade presente no comitê regente, do qual o sigilo era pertinente […]

CONTO: O Jardineiro do Imperador (por Fernando Fontana)

Assim que adentrou a casa de chá, Okada Ichiro avistou sua proprietária e dirigiu-se até ela. Carregava o elmo em uma das mãos e trajava armadura completa, preta com detalhes em verde, as cores do Clã Okada. Os presentes se inclinaram e se afastaram em sinal de respeito, enquanto ele se aproximava de madame Keiko. […]

Contos: Jogo da Dominação (por Gerson Machado de Avillez)

“A ilusão é uma imperfeição que corrompe a mente.” Série Marco Polo Álvaro Whatchman era um mago da tecnologia, sempre tratava de criar novas ferramentas digitais, equipamentos e, posteriormente, mesmo jogos em sua empresa Interactive Future. Porém, a enigmática personalidade nutria a centelha da desconfiança em teóricos da conspiração que frequentemente apontavam ideias de uma […]

Conto: Pague-me outra garrafa que te digo o que vi (por Leon Nunes)

Você qué sabê quem eu vi naquele dia. Pois vô falar só se você me pagá mais uma. Tô aqui porque minha mulié me traiu e, porra, separo de mim, perdi a merda do meu emprego e agora tô bebendo meus último trocados furado. Cê não quer saber, né? Tá. Eu tava tomando outra desta […]

Passaporte para Magônia

por B. B. Jenitez Nicola Tesla morreu em sete de janeiro de 1943 mas ainda hoje somos surpreendidos por alguns de seus escritos, especialmente o que se convencionou chamar de seus “cadernos perdidos”, material revelado por biógrafos e historiadores a partir dos anos 2000. Aqui comentarei apenas seu caderno mais polêmico e curioso, apelidado por […]

Rolar para o topo